24 de jan de 2006

Anarco-Capitalismo: uma anotação bibliográfica

Tenho conversado com diversos amigos liberais no sentido do liberalismo clássico a lá Hobbes, Smith e Hayek, e quase todos condenam a ética libertária ou anarco-capitalista. Uma das alegações mais comuns trata-se de que uma sociedade sem Estado, baseada apenas no princípio da propriedade privada, como defendida pelos libertários a lá Rothbard e Hoppe, não tem como se auto-regular e que, serviços como o de jurisdição, defesa, segurança, ruas e estradas, só podem ser satisfatoriamente produzidos através do aparato estatal. Portanto, o Estado Mínimo, alegam os liberais clássicos, é necessário para o melhor funcionamento da ordem econômica e social.
Pois bem, me parece que estas pessoas não dedicaram o tempo suficiente para estudar o tema, se é que dedicaram algum, pois a idéia de que o Estado Mínimo é necessário já foi amplamente demolida tanto por Rothbard quanto por Hoppe, um dos pensadores mais lúcidos, em atividade.
É uma pena que o Brasil esteja tão distante, assim como está da Escola Austríaca, da perspectiva teórica libertária, pois não há praticamente nada publicado por aqui, salvo o bom e velho site O Indivíduo, especialmente os artigos de Marcello Tostes. É neste espírito de fornecer ajuda aos interessandos que deixo abaixo o link para uma série de recomendações obrigatórias para quem queira estudar o tema. No fim do texto, há diversos papers on line que ajudarão muito.