31 de dez de 2004

A Causa dos Baixos Salários

A maioria das pessoas acredita que o salário mínimo estabelecido pelo governo é o melhor (e único!) meio para aumentar os salários dos trabalhadores. Essa noção, embora completamente equivocada, está enraizada em nossa mentalidade de tal forma que somos levados a acreditar que os salários são baixos porque o governo não os aumenta.

O preço dos salários, na verdade, está relacionado com a produtividade do trabalho e esta com a disponibilidade de capital que por sua vez, depende da quantidade de poupança disponível. É a relação capital/trabalho que estabelece o grau do salário. Em outras palavras, isso quer dizer que quanto maior for o aporte de capital disponível numa economia em relação a unidades de trabalho disponíveis, maior tenderá ser o salário do trabalhador.

Todos os países subdesenvolvidos têm salários baixos justamente porque o aporte de capital é baixo, ao passo que a mão-de-obra é abundante. Ao mesmo tempo, os países ricos que possuem um maior índice de capital, registram salários maiores. Por isso que os operários do primeiro mundo gozam de um maior bem estar perante os trabalhadores do terceiro mundo.

Contrariamente ao que reza a teoria marxista ainda dominante. Ela diz que os salários são baixos porque os capitalistas exploram os trabalhadores. Ora, é precisamente o contrário o que acontece. É graças ao capital que os salários tendem a aumentar.

É preciso entender que o aumento do bem estar da população não depende da benevolência dos políticos, mas de condições institucionais adequadas para que a poupança seja gerada e os investimentos realizados. Só assim o valor dos salários pode subir sustentadamente. Caso contrário, um canetaço governamental apenas piora ainda mais as coisas. Tem-se que levar em conta que desde que Adão e Eva saíram do paraíso a humanidade vive o drama da escassez de recursos, e ele nos impõe restrições impossíveis de serem removidas pela mera bondade (ou populismo) dos políticos.